quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A Alma do Cinema


O cinema liberta a alma calma
Do menino aprisionado na pobreza

O cinema amolece o coração
Dos homens de cara brava

O cinema cativa os que a ele
Ainda resistem bravamente
E não percebem o poder
De mudança que ele tem

Cinema de arte
Cinema de Hollywood
Cinema antigo
Não importa os rótulos
Cinema é cinema
Fonema e grafema
O resto é morfema

Autor: Lauro Sérgio Machado Pereira


4 comentários:

  1. "O resto é morfema" ... adorei colega! Parabéns pelo novo espaço!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Martha!

    Espero que você acompanhe e comente minhas postagens. Aguardo seus comentários.

    Abraço,

    Lauro

    ResponderExcluir
  3. Adorei o poema!
    Muito bom!
    Ass.:Nanda Lauton

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Nanda!
    Valeu mesmo!
    Abraço,
    Lauro

    ResponderExcluir